11.07.2015

O que se aprende encima de uma motocicleta

Algumas palavras para inspirar nossa vida sobre duas rodas.


Todos que adoram suas motocicletas e gostam de pegar estrada sozinhos ou acompanhados sabem que se aprende muito encima de uma moto, seja em passeios curtos com o tempo perfeito, seja em passeios longos debaixo de chuva e com muita sujeira no peito. Quem pega estrada sabe que motociclismo se trata de liberdade, respeito e irmandade até mesmo quando não se conhece o motociclista que passa pela gente e ergue a mão em cumprimento. Quem não sabe, deveria saber.

Pegar estrada de moto nos permite expressar nossa liberdade, pois somos apenas nós e a estrada, sentados sobre nada além de um motor, duas rodas e litros de gasolina: sentados praticamente encima de uma bomba, mas que, ao invés de nos dar medo, nos dá tranquilidade, nos dá paz e relaxamento para seguir a vida. É essa a liberdade que sentimos sobre duas rodas, com o vento no peito e nada mais além do horizonte que nos guia.

Pegar estrada de moto é sobre respeito; respeito por si mesmo, antes de qualquer coisa. Saber respeitar a si mesmo nos dá o tom para sabermos lidar com as pessoas a nossa volta, respeitando cada um de nossos companheiros de estrada, conhecidos ou não. Mas, este respeito também se estende e atinge nossos caminhos: respeitar as estradas, o tempo, o sol que nos acalora e a chuva que nos deixa ensopados; é respeitar a noite e as estrelas que nos guiam rumo ao horizonte escuro. E este respeito também é o respeito por nossa motocicleta. Sim! Não chegamos a lugar algum sem respeitar a maquina que nos leva e nos permite aproveitar o máximo da vida, sem exigir muito de sua engenharia, sem fazer a moto gritar pelo mau uso, mas, sempre cuidando dela como um membro mais próximo da família. Afinal de contas, é encima de nossa motocicleta que desejamos envelhecer e passar o resto de nossas vidas.

Pegar estrada de moto também é sobre irmandade. Muitos se confundem, acreditam que irmandade é apenas aquela palavrinha que aproxima as pessoas no dia a dia enquanto se relacionam e depois sai de cena. Nada disso. Irmandade para o motociclista significa que o outro motociclista, mesmo aquele que você nunca tenha visto na vida, é tão igual a você quanto seu irmão de moto clube. Significa que, se o outro também compreende o sentido de irmandade, não existem motivos para rivalidades, não existem motivos para desprezo, não existem motivos para pensar que o outro é diferente só por que montamos uma moto custom e ele uma speed. A irmandade para o motociclista é uma garantia, um certificado que garante que fazemos parte de um todo muito maior, repleto de milhares de outros irmãos e irmãs que adoram suas motos e suas estradas tanto quanto nós mesmos.


Bom, é muito provável que você, velho motociclista, já saiba de tudo isso e muito mais do que foi dito. E é provável que os novos motociclistas também saibam. O fato é que, sejam velhos, novos, médios, enfim, qualquer motociclista que se identifique com as três palavras abordadas acima e compreendam que para ser um verdadeiro motociclista é preciso entender e viver dia após dia estes conceitos, então, bem-vindo ao clube. Você terá liberdade suficiente para pegar estrada, respeitar a si mesmo, sua moto e ao próximo e fazer parte de uma irmandade muito maior do que muitos jamais compreenderão.

Aprende-se que se você não for para a estrada com uma jaqueta, por mais simples que seja, será um pouco dolorido tomar uma saraivada de insetos, pedras e sujeita. Descobrimos que o motociclista não usa jaquetas ou colete de couro, botas, coturnos, luvas e roupa preta por que quer estar na moda, mas sim, por que roupa preta suja menos e couro protege o corpo. Aprendemos também que o que é do outro não se meche, e que nossos pais sempre estiveram certos em nos dizer isso. Não se meche na motocicleta nem na mulher alheia, não se meche nas ferramentas de um homem sem sua permissão e em hipótese alguma se pode desrespeitar a sua história.

Claro, tudo também é assim no motoclubismo. Uma bandeira deve ser respeitada sempre que hasteada, pois, o escudo, o brasão de um moto clube carrega todas as histórias de seus fundadores e membros. Carregam consigo todo o sangue, suor e lágrimas derramados ao longo do caminho e de sua existência, assim como as alegrias e prazeres da vida. Não se veste o colete de outro homem. Não se brinca com o escudo em suas costas. Não se desrespeita a história de um homem e seus passos. Mas, sabemos que se há um colete pendurado em uma moto na beira da estrada, é sinal de que existe alguma coisa errada, e que não custa nada parar para ajudar outro irmão. Além do mais, isso fortalece ainda mais os laços e constrói novos caminhos.

Sabemos que a qualquer momento teremos que aprender trocar um pneu, sujar as mãos de graxa, apertar parafusos e, nos casos mais específicos, saber exatamente qual é o problema só de ouvir o barulho do motor. Sabemos que um motociclista nunca está sozinho na estrada, pois, quando há irmandade, sempre teremos um amigo rodando junto. E mesmo sozinhos, com a moto quebrada no acostamento, outro motociclista solidário que já tenha passado por coisa parecida com certeza irá parar para, no mínimo, perguntar se está tudo certo.

Encima de uma moto, aprendemos que o tempo não é nosso inimigo, mas um grande aliado que nos deixa continuar seguindo em frente, encima da moto, percorrendo caminhos que já foram construídos e explorados, mas, que se tornam únicos toda vez que subimos na motocicleta, pois nossas emoções são diferentes a cada dia, mesmo que o prazer de pegar estrada seja sempre o mesmo: aquela sensação maravilhosa de liberdade e relaxamento que sentimos quando olhamos o horizonte, a paisagem, o velocímetro e o tanque da moto e temos vontade de gritar, cantar e dar risada, sozinhos, você, sua moto e a estrada.

Espero que este texto sirva para inspirar um pouco mais a paixão que temos por nossas motocicletas e pelas estradas percorridas, assim como aquelas que ainda pegaremos sozinhos, com nossas parceiras, parceiros e amigos. É claro que muitos já sabem de tudo isso, e muitos outros aprenderão dia após dia. E àqueles que nunca montaram uma motocicleta, que este texto sirva para compreenderem um pouco mais do prazer que sentimos ao pegar estrada, e, quem sabe, inspirá-los a fazer o mesmo.

Como de costume, rodem com segurança e voltem vivos para casa. Não se esqueça de compartilhar.


Por Marco Panzer, Panzer Riders moto clube | 2011 - Monte Alto SP.


Conheça o Projeto Ride 'n' Rock, a estrada é sua! Faça parte!

Veja também: