11.21.2015

O que não sabe quem não é motociclista

Não é a toa que motoclubismo mete medo em muita gente. Motociclistas organizados em motoclubes são uma força de expressão muito grande de irmandade, respeito e liberdade sobre rodas. E isso pouca gente sabe o que é.

Quando alguém de fora nos olha – normalmente alguém que já vem com o preconceito nas costas –, logo pensa em um bando de criminosos que roubaram as motos, de alguma forma não pagam pela gasolina e pela comida que consomem.

Mas, não sabem que por trás dos coletes, da roupa suja, das mãos cheias de graxa e cortes e das “caras feias” estão seres humanos tão normais quanto qualquer outro. Homens e mulheres que possuem suas famílias, seus filhos para cuidar, seu emprego para irem todos os dias e ganhar o mesmo dinheiro que todas as outras pessoas ganham.

Estas pessoas, que já nos olham torto só de passar, não sabem que o motociclismo está cheio de gente boa, mas que, como em qualquer outro lugar e estrutura, também tem um ou outro que não presta. Empresas, igrejas, administrações, organizações, etc.: sempre existe um ou outro no meio de muitos que vai fazer por merecer ser chamado de gente ruim. Mas, culpar a todos sem saber do que se está falando não resolve o problema. Não se pode chamar a todos os motociclistas do mundo de bandidos ou qualquer outra coisa só por que algum babaca resolver chutar seu retrovisor no trânsito.

Quando o caso são os motoclubes, muita gente nem faz ideia de todo o trabalho e dedicação que existem por trás dos brasões costurados nos coletes. Não sabem que existe uma estrutura de respeito e lealdade entre seus membros – seus irmãos, sua família. Não sabem que existem trabalhos voluntários preocupados com a sociedade, que muitos motoclubes realizam campanhas em prol a causas que, em muitos casos, não participam as pessoas que julgam os motociclistas.

E quando nos veem assim, de colete, sujos e orgulhosos pelas histórias que vivemos nas estradas, não sabem que muitos são professores, empresários, vendedores advogados, médicos, profissionais liberais, artistas, donas de casa (mulheres e homens que somos). E por tudo isso somado à lealdade, a irmandade e o respeito pelo seu motoclube, por sua categoria e por seus irmãos, nós, motociclistas e motoclubistas, merecemos ainda mais respeito por aqueles que nos julgam sem saber do que estão falando.

Então, antes de martelar seu preconceito contra um motociclista, ainda mais um motociclista de motoclube, tenha em mente que você não está ofendendo apenas uma pessoa, está ofendendo toda a sua história e dedicação, além de todos os outros iguais a ele.

Porém, fique tranquilo. Apesar de tudo, nós sabemos que parte desta raiva e do preconceito baseado na falta de esclarecimento que você possui, está uma vida de amargura e falta de bons momentos, e essa inveja que você sente quando nos vê e pensa: eu gostaria de ter e sentir essa liberdade. Felizmente, nunca é tarde para começar.
_____
E aí, gostou do artigo?

Adicione a gente no Facebook: Panzer Riders MC (perfil) | Panzer Riders (página)

Conheça também nosso projeto paralelo para incentivar os amantes de motocicletas a pegarem estrada: Projeto Ride 'n' Rock

Grupo aberto no Facebook: Irmandade Motociclista


Veja também: