9.22.2015

(suposta) História do Cachorro-quente.

Cachorro-quente, hot dog, podrão, X-asa de barata, X-cabelo, entre outros nomes... Um lanche muito rápido e prático que vai bem a qualquer hora.


Aqui no site Panzer Riders moto entretenimento, além de “gasolina, whiskey e rock ‘n’ roll”, gostamos também de boa comida. Podemos encontrar de tudo, desde salgados velhos com 1 litro de óleo por grama à opções com um pouco mais de qualidade para estofar nossas barridas e voltarmos para a estrada.

Mas, seja fazendo uma boa viagem, um breve passeio ou até mesmo em casa com os amigos e irmãos de clube e familiares, o que me dizem de um bom e tradicional cachorro-quente?

Decidimos, então, pesquisar sobre a “descoberta” ou criação do tradicional cachorro-quente, chegamos a "três teorias", que, inclusive, podem ser reais ao mesmo tempo.


  • 1852, Frankfurt, Alemanha.  Um açougueiro resolve batizar as salsichas que fabricava em sua loja com o nome de seu cachorro da raça Dachshund, e, possivelmente, atraindo alguns clientes para comer sua iguaria (infelizmente não descobrimos o nome do cachorro ou se isso tem alguma relação com o cachorro-quente que conhecemos).
  • Depois disso, em 1880, um imigrante alemão chamado, Charles Feltman, indo para os Estados Unidos da América, levou estas salsichas, possivelmente para se alimentar durante a viagem e nos dias seguintes no novo país. Lá, ele criou um sanduiche quente com estas salsichas, adicionando molho, condimentos e pão.
  • 1904, Saint Louis, EUA. Um vendedor de salsichas criou uma maneira de os clientes não queimarem suas mãos ao segurarem as salsichas ainda quentes enquanto as comiam: dava aos clientes uma luva limpa de algodão. Porém, estas luvas acabavam indo embora junto com os clientes, gerando prejuízo. Um parente próximo vendedor se salsichas, possivelmente um cunhado que supostamente era padeiro, sugeriu a este vendedor que, ao invés de luvas, desse aos clientes um pão para que eles as segurassem. Nascia, então uma forma mais parecida com a nossa do famoso cachorro-quente.


Estas versões podem estar corretas em seus próprios espaços de tempo, assim como podem existir várias outras. De repente, alguém pode ter sacado que ficava mais fácil e gostoso comer uma salsicha no meio de um pão macio com um pouco de molho.

Aqui no Brasil existem muitas versões de cachorro-quente: com batata-palha, milho, ervilha, purê de batata, uva-passa, queijos, alface, tomate/vinagrete, ovo de codorna, entre outros recheios dos mais variados, dependendo da região.
A história do cachorro-quente por aqui remete aos anos de 1920, por volta de 1926, quando o empresário Francisco Serrador introduz os cachorros-quentes em suas salas de cinema na idade do Rio de Janeiro. A partir do fim da Segunda Guerra Mundial, 1945, o Brasil sobre grande influência da cultura norte-americana, o que faz com que o cachorro-quente se torne ainda mais comum por aqui.

E aí, gostaram do artigo? Deu fome? Em mim, sim.

Não se esqueça de compartilhar nosso site.
Como de costume, rodem com segurança e voltem vivos para casa. Let’s ride, let’s Rock!


Conheça o Projeto Ride 'n' Rock, a estrada é sua! Faça parte!  

Veja também: