6.11.2015

Lubrificação de corrente. Óleo ou graxa?

Lubrificar de quando em quando? Qual a duração?


Começando o novo mês e me lembrei que preciso, com urgência, trocar a relação (transmissão) da minha moto. Moro em uma cidade de interior, e para quem tem uma moto customizada como a minha bobber, às vezes fica difícil encontrar peças em prontidão. Em se tratar de uma Suzuki, então, a coisa fica um pouco mais difícil, já que a predominância de mercado gira em torno de Honda e Yamaha. Mas, procurando, se encontra tudo. Preciso de uma transmissão nova com uma corrente maior que a tradicional, já que minha moto possui a balança alongada.

Isso me lembrou também que o óleo que utilizo para lubrificar a corrente havia acabado, e como possuo um pote de graxa (não me lembro de quando) ainda pela metade, surgiu a dúvida: “compro outro lubrificante em spray ou uso um pouco dessa graxa”?


Para o tipo de transmissão mais comum, como é o caso da minha moto e da maioria (corrente), o mais recomendado é o óleo W90, por conta da viscosidade: nem viscoso demais, nem líquido demais. Normalmente utilizo uma graxa em spray, branca, com maior resistência à água. Mas, o óleo parece fazer o mesmo trabalho. Mas, e aí: graxa ou óleo?

Para terreno praticamente estável, como é o caso de cidade e estrada em dias normais, a graxa possui aderência maior e parece manter uma durabilidade maior. Mas, o acúmulo de sujeira também é maior: poeira, areia, etc. Isso quer dizer que a limpeza da corrente precisa ser feita com mais frequência.

Já o óleo possui ótima lubrificação. Mas, todos reclamam da sujeira que vira a roda traseira, por conta dos espirros e repingos. No entanto, acredito que sai muito mais barato lavar a moto (ou apenas a roda traseira) mais vezes ao mês do que acabar com um desgaste maior no kit total da transmissão: pinhão, corrente e coroa. Quanto mais sujeira, maior o atrito com “corpos estranhos”, danificando as peças. Então, o óleo parece ser uma escolha mais viável, tanto para a vida útil das peças quanto para sua segurança e manutenção da motoca.

ATENÇÃO:
Independente da marca e sua escolha pessoal utilize óleo novo. Não pense que óleo queimado sai mais barato e faz o mesmo serviço. De jeito nenhum! Óleos e lubrificantes já utilizados não possuem qualidade e durabilidade, já que seus aditivos e viscosidade já foram comprometidos pela utilização.

Resumo da ópera:

Todos nós sabemos que é importante manter a lubrificação da corrente e peças. Não fazer isso sempre que necessário é jogar com a sorte tanto para a vida útil das peças quanto para sua própria segurança, já que a falta de lubrificação pode levar ao superaquecimento e rompimento das peças, causando um grave acidente.

a) Existem recomendações oficiais de montadoras e fabricantes para uma lubrificação a cada 400 ou 500km. Mas, se você utiliza sua moto para absolutamente tudo, então, lubrifique sua corrente pelo menos uma vez por semana (no mínimo), já que o desgaste e a sujeira do dia a dia são maiores.

b) Antes da nova lubrificação, preocupe-se em lavar a corrente ou pelo menos retirar o excesso de óleo ou graxa antiga para remover as sujeiras. Detergente neutro faz um bom trabalho. Mas, querosene dá conta do recado e deixa tudo limpinho. Dica: lave a corrente, pinhão e coroa com querosene com a moto ligada, ou girando a roda. Isso faz o querosene circular por toda a transmissão e remover toda a sujeira. Em seguida, detergente e água. Seque com um pano (descartável), e realize a nova lubrificação.

c) Na correria, se preferir, perca 5 minutos passando em qualquer oficina e pedindo para lubrificarem a corrente. Esse serviço é gratuito, cortesia da casa. É claro que não darão aquele trato com todo o cuidado na corrente, mas, já estará lubrificada para mais um dia.

d) Não pense que você precisa gastar o que não tem. Compre um óleo de qualidade e que dê conta do recado: um óleo W90 sai por volta de R$20,00 em algumas marcas, chegando à média de R$65,00 (no caso do Chainlub Motul), ou graxas em spray entre R$10,00 e R$20,00. Faça os cálculos e veja o que está mais em conta para sua necessidade diária.



Folga na corrente: o padrão de folga para corrente não ficar esticada ou folgada demais é de um movimento para cima e para baixo de 15mm a 20mm em motos "normais". Para motos de estilo trail e off-road, uma folha um pouco maior é recomendada. Preocupe-se em apertar bem todos os parafusos após a regulagem de corrente.

Não se esqueça de compartilhar nosso site.

Como de costume, rodem com segurança e voltem vivos para casa. Let’s ride, let’s Rock!


Conheça o Projeto Ride 'n' Rock, a estrada é sua! Faça parte!

Veja também: