12.15.2014

Sua esposa ou namorada não gosta de moto?

Algumas dicas para perder o medo.


É comum ouvirmos alguém dizer “minha namorada não gosta de andar de moto”, ou “ela acha perigoso”, “ela tem medo”, “ela não gosta de pegar estada”, “ela isso, ela aquilo, ela aquilo outro” e por aí em diante. Bom, não é bem culpa delas, seja namorada, esposa recém-casada ou casais com mais de trinta anos de casamento. Se você está acostumado a andar de moto e faz isso há anos, sabe muito bem que com moto não se brinca. É a tal da história: “para-choque de moto é o peito do piloto”. Você também deve saber muito bem que com moto não existe isso de “se eu cair”. Você vai cair. Isso é fato. O correto é: “quando eu cair” (repito: você vai cair!). Ou você acha que um veículo motorizado com DUAS rodas foi feito pra NÃO cair?
Enfim, voltemos à questão das dicas para que sua namorada, noiva, esposa, etc., tenha um pouco mais de paciência contigo por conta de seus constantes passeios de moto (sem ou com ela).


1 – Tente diminuir o medo:
Vocês passam bastante tempo junto e conversam sobre tudo. Por que não conversarem também sobre o receio que ela tem de pegar estrada de moto, pilotando ou na garupa? De repente pode ser apenas um medo bobo, coisa simples de superar. E caso seja algum trauma de infância ou coisa assim, vocês podem resolver juntos também. O diálogo é a chave para tudo. Se estiverem marcando um passeio para as próximas semanas ou meses, tentem diminuir ao máximo o medo que ela sente. Andem mais na cidade ou façam percursos curtos pela região. Mostre a ela que a coisa não é tão perigosa assim, e, se possível, deixe-a pilotar um pouco para pegar confiança, tanto em você, na moto, na estrada e nela mesma.

2 – Pergunte a opinião dela:
Normalmente vocês (ou só você) saem de casa para uma voltinha rápida antes do almoço. Mas, dessa vez, você quer sair antes do sol nascer e voltar com ele se pondo, dois dias depois. Isso significa rodar 100, 150, 200 km sem descer da motoca ou parar pouco em alguns postos de combustível ou restaurantes só pra esticar as pernas, depois voltar para a estrada e fazer a mesma coisa umas cinco vezes no trajeto todo. Significa também que, querendo ou não (e você sabe que sim), a viagem se torna um pouco cansativa. Para sua companheira, então, que já não gosta muito de moto, a coisa tende a ser muito pior.
Será que ela topa rodar 500 km por dia? Será que está preparada? Pode ser que ela até queira e tenha aceitado, mas, pode ser que ela não goste e se torne ainda mais cansativo. Que tal, então, ao invés de 500 km por dia em uma viagem de fim de semana, pegar a metade (ou menos) em um passeio de 1 dia? Faça isso em alguns fins de semana e ela estará pronta para aumentar a quilometragem com você em pouco tempo.

3 – Peça a ajuda dela para planejar o passeio:


Ok, você está acostumado a sair por aí sem planejar ou fazer roteiros legais por estradas cheias de beleza. Sabe sair e voltar pra casa sem muita dificuldade. Perfeito. Faça algumas sugestões e peça a opinião dela para tudo o que puder. Diga que em tal lugar tem um restaurante legal de beira de estrada e que ela pode gostar da paisagem dessa ou daquela estrada. O roteiro é pequeno? Melhor ainda. Ela se sentirá ainda mais confortável em passear por lugares próximos. Normalmente, cidades de interior são muito próximas e possuem vicinais muito bonitas (mas tome cuidado com as curvas e estado de conservação). Com certeza ela gostará de fazer parte do planejamento ao seu lado e terá mais confiança para roteiros variados.

4 – Roupas adequadas:
Lembre-a que, assim como cada ocasião social pede uma roupa adequada (e disso ela entende bem), pegar estrada também requer estar preparado para tomar sol, vento, chuva, pedras nas canelas, terra, sujeira, insetos suicidas que adoram se jogar encima de vocês... Afinal, isso aqui não é desfile de moda e ninguém está tentando ser mais bonito e bem vestido do que ninguém.

a) Calçados:
Nada daquele sapatinho baixo ou salto alto para sair de moto por aí. Um bom tênis de cano alto, bota ou coturno são as melhores pedidas.


b) Calças:
Sim, calças! Tudo bem, vocês veem mulheres nos filmes ou em fotos publicitárias pegando estrada de biquíni ou shorts sensuais mostrando tudo e mais um pouco na estrada. Mas, sinto informar: não passa de ficção. Sim! Estão mentindo para vocês. Vocês não estão dando uma voltinha na cidade; estão na estada. Qualquer objeto, por menor que seja, pode machucar.

c) Jaquetas:
Lembre-a que, por mais que não esteja aquele calor infernal, uma jaqueta fechada (mesmo Jeans, se não for couro ou similar), protege muito bem a pele. Tomar uma “borboletada” ou uma chuva de besouros a 100km/h no peito não é brincadeira e dói, dói de verdade. Está calor para usar roupa fechada? Fique em casa.

d) Óculos escuros (ou capacete com viseira escura):
Parece que não, mas a claridade na estrada atrapalha bastante tanto o piloto quanto o garupa. Se você tem óculos escuros ou capacetes com viseira escura, use-os em seus passeios.

e) Luvas:
Proteger as mãos também é fundamental. Novamente: se não forem de couro ou similar, use luvas de tecido para bloquear o sol, o frio e os insetos.

Enfim, como eu disse um pouco acima: andar de moto na estrada não é desfile de moda, e se estiver procurando o mesmo conforto do seu sofá, fique em casa ou vá passear de carro. Porém, se preparar para pegar estada em uma moto usando roupas adequadas faz toda a diferença.
Lembre-se também que, além de se proteger do tempo, cobrir o corpo para andar de moto protege, também, de quedas e pequenos acidentes. Não que vocês tenham que esperar um tombo aqui outro ali. Mas, sabemos que qualquer tombinho deixa arranhão quando o assunto é moto.

5 - Conhecer outras mulheres motociclistas:
Não é difícil encontrar. As estradas estão cheias de mulheres que adoram andar de moto, sozinhas, em moto clubes e moto grupos, pilotando ou na garupa. Com certeza você conhece alguma esposa ou namorada de amigo que também divide com seu companheiro o gosto pelas motos e estradas. Apresente estas mulheres a sua companheira. Tenho certeza que conversarão muito sobre tudo e isso ajuda a perder o medo. Além disso, existem milhares de exemplos pela internet, em blogs femininos de mulheres que adoram motos. Faça uma pesquisa com sua namorada/esposa. Com o tempo fica tudo mais fácil.

Concluindo, é sempre muito bom pegar estrada e passear de moto acompanhado da pessoa que se ama. Siga estas dicas como exemplo e pense em mais algumas que podem ajudar a diminuir o desconforto que sua parceira sente pela moto. E se ela tem um trabalho estressante (como a maioria de nós tem), mostre a ela que fazer um bom passeio, curto ou longo, ajuda muito a recarregar as energias.

No mais, cuidem-se pelas estradas, irmão e irmãs, e voltem vivos para casa.
Let’s Ride, Let’s Rock!
_____

Acesse também nossos cadastros:

Veja também: